04/08/2017


Esclareça 8 mitos sobre doenças gengivais

Saiba mais sobre gengivite, periodontite e periodontite avançada, e entenda as crenças equivocadas que podem levar ao agravamento dessas condições.

Um pouco inchada, a gengiva sangra durante a escovação. Sinal de alerta ligado: este é o principal sintoma das doenças gengivais (ou periodontais). Os outros podem ser retração da gengiva, mau hálito, gosto ruim na boca, dor ao mastigar, incômodo dental com temperaturas frias ou quentes e, em casos avançados, pus em torno ou próximo à raiz dos dentes.

Quanto mais cedo um especialista for consultado diante de algum desses sintomas, maiores as chances de detectar a doença periodontal enquanto ainda é uma gengivite, a fase inicial da doença. Depois disso vem a periodontite, um estágio intermediário, e a periodontite avançada, o mais grave.

Em casos severos, a doença gengival pode levar à perda de dentes. Por isso, todo cuidado é pouco. "A gengiva é uma porta de entrada que fala muito sobre o corpo. Devemos sempre prestar atenção nela", orienta o dentista multidisciplinar Gil Puglisi (CRO-SP 1.741).

Por ser causada principalmente devido à placa bacteriana - uma película formada por restos de alimentos e bactérias que não são devidamente removidos dos dentes -, a doença gengival é facilmente evitável. O cirurgião-dentista Victor Murakami, da Clínica Alto da Villa (CRO-SP 94.312), explica: "A melhor forma de prevenir seu aparecimento é a correta higienização com escovação, fio ou fita dental e bochecho com enxaguante bucal".

Abaixo, Gil e Victor elucidam os principais mitos sobre as doenças gengivais:

1. Doenças gengivais são pouco comuns

"Depois da gripe, são as doenças mais comuns no ser humano", afirma Puglisi. Além disso, Victor conta que estudos demonstram que as doenças gengivais podem atingir mais de 85% das pessoas em determinadas faixas da população.

2. Não tenho cárie, então estou livre do problema das doenças gengivais

Uma coisa não tem nada a ver com a outra, uma vez que as bactérias responsáveis por cada doença não são as mesmas. "Inclusive, com o avanço da idade, o índice de cárie abaixa e o das doenças gengivais aumenta", diz Victor.

3. Ter uma doença gengival significa que vou perder meus dentes

Se os sintomas forem levados a sério e a doença for tratada a tempo e adequadamente, não haverá perda de dentes.

4. É normal as gengivas sangrarem um pouco ao escovar os dentes

Nenhum sangramento é normal. A não ser que tenha sido causado por uma pancada acidental da escova na gengiva, o sangramento é o primeiro sinal de que algo está errado e de que ali já existe uma inflamação, possivelmente uma gengivite.

5. Pessoas com diabetes sempre têm doenças gengivais

Diabetes sob controle não interfere em nada na gengiva. Só há risco se o paciente estiver com o diabetes descompensado, de acordo com Victor.

6. Sentir uma dorzinha ao mastigar é um sintoma de doença gengival

A dor ao mastigar que pode indicar uma doença gengival é aguda. Se você sentir esse forte desconforto, procure seu dentista assim que possível.

7. Fumantes passivos não apresentam risco aumentado de ter doenças gengivais

De acordo com Victor Murakami, estudos apontam que uma pessoa exposta à fumaça de cigarro diariamente - uma fumante passiva - tem o dobro de chances de desenvolver uma doença periodontal do que alguém que não sofra essa exposição.

A ação do tabaco altera a resposta imunológica e a irrigação sanguínea, entre outros fatores que predispõem ao aparecimento ou agravamento de doenças periodontais.

8. Sou fumante ativo e minhas gengivas não sangram, então não tenho doença gengival

Os elementos do cigarro podem mascarar as doenças periodontais, pois promovem uma vasoconstrição (a contração dos vasos sanguíneos), escondendo sinais evidentes delas, como o sangramento e o inchaço da gengiva. Faça consultas periódicas ao dentista para que o profissional possa avaliar a sua saúde bucal corretamente.

Fonte:www.minhavida.com.br

Copyright © 2010 ForteFarma. Todos os direitos reservados.